segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Orçamento de Estado: a Crise que Sócrates necessitava


A crise económica mundial que atravessamos está a ser muito bem gerida pelo Governo liderado por José Sócrates. O Orçamento de Estado para 2009 é exemplo disso mesmo.
O OE2009 apresentado por Teixeira dos Santos é pródigo em apresentar um conjunto de novas medidas, na maioria delas marketing estrategicamente bem gerido, que baseados na crise permitem tomar decisões a pensar nas 3 eleições do próximo ano.

Se se analisar em detalhe algumas dessas medidas, percebe-se que elas pouco impacto em termos globais terão no Orçamento, mas são medidas que há muito os portugueses ansiavam, não só o aumento dos salários da Administração Pública, como redução do IRC para as empresas.

Como em tudo não há bela sem senão, que em termos de OE se fala, em aumento de impostos e redução de benefícios fiscais. Por mim, tudo bem. Acima de tudo, a minha preocupação é que o Governo não caia no erro de actuar desmesuradamente a pensar nas eleições, como é típico nestas alturas, sendo que as "forças" internas do PS muito peso terão.

Nota para a excelente prestação de Teixeira dos Santos, está cada vez mais político e melhor. Neste momento José Sócrates deve valorizá-lo, pois destaca-se e muito dos restantes ministros.

Última nota para a oposição, não se deixem levar na agenda do Governo. Saber ler nas entre-linhas do OE é fundamental, saber acima de tudo comunicar as suas propostas é o que falta. É díficil, eu sei, pois a campanha de marketing que é gerida pelo Governo é enorme e deixa pouco espaço, mas há que trabalhar e passar as mensagens, principalmente as de direita!!

Sem comentários: