quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Eleições Regionais dos Açores: Vencedores, Vencidos e Assim-Assim


As eleições regionais dos Açores, ocorridas no passado fim de semana, tiveram algumas surpresas. Por partidos direi que:
1. Partido Socialista - vencedor incontestável em várias frentes, mas parece-me que mesmo assim ficou aquém do que os mais acérrimos socialistas esperavam. Venceu nas 7 ilhas, o que é um dado histórico. Sócrates agradece, é mais um balão de oxigénio para o Continente. Carlos César estará certamente folgado por mais uns anos, com a maioria absoluta;

2. PSD - cada vez mais uma incógnita. Não se percebe onde vai parar. Costa Neves não conseguiu passar nenhuma imagem. Manuela Ferreira Leite não trouxe provavelmente valor acrescentado para fazer o partido reaparecer do marasmo em que caiu não só no Continente, mas também nos Açores, desde a saída de Mota Amaral das ilhas.

3. CDS-PP - outro grande vencedor, senão o maior mesmo da noite. Passou de 1 para 5 o número de deputados. Uma prova que o trabalho local, porta a porta desenvolvido pelos dirigentes locais, em particular pelo seu líder regional, é reconhecido não só em credibilidade, como também pelo seu papel fundamental. Este é um claro sinal de que o CDS-PP vale mais sozinho do que coligado com o PSD. Mais uma vitória de Paulo Portas, que comprovou que o trabalho de "formiguinha" que está a fazer começa a dar resultados, para mal dos que agoiraram o fim não só de Paulo Portas, mas também do CDS-PP. Comprova-se que Portugal necessita de um partido forte de direita.

4. CDU e BE - cresceram, gostariam de ter mais obviamente, mas cresceram essencialmente derivado ao aumento da abstenção e não no número de votos.

5. PPM - a surpresa da noite. É bom para a democracia que hajam estas surpresas para dar força, motivar e incentivar os partidos pequenos.

Questão que fica no ar: Será que estas eleições são semelhantes ao que ocorreria hoje no Continente?
Penso que não, mas há muitas semelhanças provavelmente...

Sem comentários: