terça-feira, 28 de outubro de 2008

Crise Económica igual a Fim do Capitalismo? Voltamos ao comunismo?


A Crise Económica tem feito vir a lume uma esperança "engraçada" nas mentes mais à esquerda da sociedade.
Frases do tipo: "Esta é uma prova que o capitalismo não funciona" ou "É o que dá o liberalismo", entre outras.
Outro sinal interessante é o facto do livro de Karl Marx ter subido em flecha nas vendas das livrarias, isto é, a procura de se relembrar quais os pontos principais das linhas comunistas está com todo o seu vigor, quer seja por convicção, quer seja pela expectativa de ter os argumentos na "ponta da língua" para qualquer discussão que seja necessária.

Para a mim esta é uma visão claramente redutora. O facto de ter existido um crash económico tem diversas razões, agora dizer que é a falência do Sistema Económico estruturado no capitalismo, e algum liberalismo, é um exagero!

Aliás, a visão pura do Comunismo rege-se pelo Estado regulador total. Se analisarmos um pouco em pormenor o que se passou com esta crise económica, um dos problemas foi precisamente o não funcionamento do Regulador Estado (aliás este talvez tenha sido o grão de areia que fez o efeito bola de neve).

Em termos práticos os Reguladores assobiaram para o lado e não estiveram atentos (se calhar alguns não quiseram ver) aos riscos financeiros. Acordos como os de Basileia, para avaliação do risco das Instituições Financeiras foram, pelos vistos, esquecidos pelos reguladores, deixando margem "à veia humana mais sedenta do lucro fácil".

Apesar da crise, não é o Comunismo a solução. Os ciclos económicos são mesmo assim, são ciclos.

Os valores dos indíviduos através da meritocracia são fundamentais, ao invés do comunismo que vê todos como iguais (na prática o que aconteceu era que uns eram mais iguais que outros, mas...).

Reforçar que a histeria que se criou acaba por ser um pouco normal.

Considero que na realidade estamos a iniciar um novo ciclo de Capitalismo, um novo ciclo que denominarei como sendo um Capitalismo de Rede Global, isto é, as empresas necessitam de ter uma nova forma de actuar quer internamente na sua estrutura, quer externamente na forma como actuam perante o mercado.

Saber-se desenvolver produtos e serviços em rede, com vários colaboradores que se calhar nunca se viram, com parceiros que estão em locais que desconhecemos e clientes que sabem exactamente o que querem e quando quem são os desafios desta nova Economia de Rede Global.

Assim, acredito que o Mercado mudou, o Capitalismo tradicional está na fase de transição para o Capitalismo de Rede, mas sem dúvida que a Economia de Mercado irá prevalecer e voltar a entrar em laboração.

Esta nova era da Economia virá ao de cima e acredito que esta nova versão de Capitalismo (talvez a versão 2009) irá trazer mais desenvolvimento e inovação para as economias mundiais.

Neste momento são as economias a mudar, acredito que em breve serão os Estados a mudar, mas isso é tema para um futuro post ...

Sem comentários: