terça-feira, 12 de agosto de 2008

Empreendedorismo: Necessidade aguça o Engenho


Este fim de semana nas minhas leituras de jornal li um artigo com o título "Empreendedorismo de subsistência".
Este tema é sobre algo no qual tinha apenas uma sensação, derivado às minhas experiências no mercado de trabalho e círculo de amigos, que se prende com o aumento de novas pequenas empresas.

Em várias conversas no final do ano passado com alguns amigos que têm as suas empresas, de Sistemas de Informação, questionavam-me sobre como via o ano de 2008 em termos empresariais. A minha resposta foi relativamente simples:
"O mercado vai mexer bastante, as grandes empresas irão sofrer bastante, despedindo quadros médios e superiores bastante qualificados e de boa qualidade. Isto dará origem ao aparecimento de novas empresas mais flexíveis e de maior visão para os novos desafios de mercado, com algo muito interessante que é o facto dessas novas empresas serem constituídas por pessoas experientes que conhecem o mercado tradicional e as empresas tradicionais com os seus lados
positivos e menos positivos."

Em jeito de conclusão sobre o artigo que li, serve apenas para referir que às vezes são as Necessidades que "nos põem a mexer", isto é, os tais quadros qualificados que se vêem dispensados pelas suas empresas, muitas vezes por razões inexplicáveis, sabem que têm um capital de know-how acrescido no mercado. E, se forem decididos e realmente forem bons, não ficam à espera do Subsídio de Desemprego e põem mãos à obra.

Na minha visão de há uns 2 anos para cá, e pelo menos durante os próximos 5 anos, encontramo-nos a viver o início de uma revolução económica onde as formas tradicionais das empresas fazerem negócio será completamente alterado. Estas crises e choques na economia, quanto a mim, são símbolo desta alteração dos papeis dos vários stakeholders de mercado.

Qual será o caminho que tomará? Não sei também. Tenho umas perspectivas, mas será um tema para outro artigo em breve sobre este tema.

Última nota: para os empreendedores consultem http://www.empreendedorismo.pt/

1 comentário:

Miss S disse...

Caro pinto rebelde,

Muito embora seja uma temática da moda, o empreendedorismo é algo que conhecemos desde sempre... basta remontarmos à era dos Descobrimentos :-)
Eu iria um pouco mais longe. Diria que, não obstante a persistência de alguma (muita) burocracia, nunca foi tão fácil constituir uma empresa. Numa envolvente em constante mudança já nem um nome no mercado ou a dimensão bastam. Grande parte das empresas jurássicas tem demasiados "vícios" adquiridos ao longo dos anos, dos quais não se consegue facilmente (muito menos pacificamente) desvincular, o que se traduz numa vantagem competitiva para quem "entra de novo".
Vivam as boas ideias! E capital? Pode-se sempre recorrer à teoria dos 3 F's: Friends, Family or Fools :-)

P.S. Nice posts!